sexta-feira, 4 de maio de 2012

Sabe, amor é decisão.

Muito se fala sobre isso, mas você só entende quando passa a experenciar.

A paixão é algo que vem de fora e te pega de jeito, é como uma verdadeira Revolução Francesa na sua vida. Sim, porque ela é tão angustiante, sufocante, que parece que você seria capaz de se dispor a ser decapitado se não pudesse ficar ao lado da pessoa que roubou seu coração.

Mas o amor não. Você decide amar aquela pessoa por quem um dia você se apaixonou. Pois agora você conhece cada gosto e qualidade da pessoa, só que também sabe de cada mania estranha, de cada defeito. Ó apaixonados, não me crufiquem por dizer que o ser amado possui defeitos! É a verdade, nós seres amantes bem o sabemos. Contudo, decidimos amar mesmo assim. Porque o amor, ah, o amor! Esse vem de dentro, da alma, e nos sucumbe de tal forma que nos faz capazes de amar "apesar de".

No fundo, a tal Dona Paixão que é cega. O amor não. Ele é quatro-olhos, daqueles bem fundo de garrafa. Só que é ele é decidido, temoiso. E quando chega, fica. E pronto. Sem mais o quê, sem mais porquês.



Nenhum comentário:

Postar um comentário